segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Eu amei te ver!

começando o post [ao som] da música nova do Tiago Iorc:


"Ah, quase ninguém vê
Quanto mais aumenta a graça
Mais o tempo passa por você"

preguiça grande de letras maiúsculas hoje - e do shift, entre outras coisas. 
--
em uma parte da música ele fala "me encaixo no teu cheiro e ali me deixo inteiro" e, coincidência ou não, estávamos no buteco esses dias falando sobre o cheiro - novemente, entre outras coisas - das pessoas. uma amiga, na qual eu tendo a confiar bastante, disse que ela sempre seguia sua intuição quanto a duas coisas: o cheiro e o beijo. se não gostasse de um dos dois saberia que não daria certo. outro amigo certa vez disse que a voz era realmente importante, que podemos conhecer uma pessoa apenas ouvindo sua voz - não necessariamente o que ela diz. ainda não tenho esses 'dons' ou essas 'manhas'. o que sei é que, antes mesmo de ouvir essa minha amiga, já havia pensado sobre o cheiro. e não gostei. pra ser sincera foi o que mais me incomodou, e permaneceu no ambiente o resto do dia e da noite, já que ao ligar o ventilador de teto ele continuava pairando no ambiente. o que ainda me deixa confusa é saber que mesmo não gostando não queria que o cheiro acabasse. claro, tenho minhas teorias pra isso. e claro, não fazem sentido nenhum.
--
outra coisa que tem me incomodado - além daquele cheiro que ainda não saiu da minha cabeça - é que as pessoas são [adjetivo ruim que eu não consigo definir]. sim, elas são. umas sem caráter, outras interesseiras, e por aí vai. esse 'interesse não saudável' - se é que isso existe - é que tem me aborrecido. quer ver alguém aparecer? é só dizer que eu posso ajudar com algo. tá feia a coisa.
--
ainda assim, continuo otimista.
maldição ou inocência, fico com a segunda ;)