segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Desate o nó

Ontem fomos a um festival em Uberlândia, em que tocaram Pitty e HG. Sempre que vou a algum show dele, aquela sensação de que deveria ser diferente me persegue.
Sabe quando você reza pra esquecer torcendo pra lembrar? Sou hipócrita demais.
Quando tocou Ando só, relacionei a música à uma pessoa. A noite ainda não tinha acabado. Estávamos minha irmã, a prima dela e outra pessoa. Quando está tudo bem, bem até demais, sempre tenho a impressão de que é porque os ventos calmos trarão as tempestades. Quando a noite acabou choveu, tempestiou e a calmaria  acabou (o fogo derreteu, o gelo incendiou, a brisa virou tufão, o mar derramou e a casa caiu, mas isso só aconteceu porque o amor entrou no meio e o meio, que antes era amor, demonstrou que todas as tentativas de "deixa isso pra lá" levaram a um "lá" muito complicado).

"Desate o nó que te prendeu 
A uma pessoa que nunca te mereceu
Desate o nó que nos uniu.."

A música foi então relacionada à outra pessoa. Desculpa, mas dessa vez tive nojo e raiva de saber o quanto te defendi. Aquilo sobre tudo valer a pena quando a alma não é pequena, então, não há consideração com quem nem alma tem. Au revoir, mesmo que seja depois de 15 anos.
-
Não me lembro de ter relacionado a reação de pessoas a um mesmo comentário ou acontecimento e ter discutido isso. Ontem comentei com um amigo sobre o show, já que sei que ele é muito fã, e ele respondeu tão entuasiasticamente e ficou feliz por ter lembrado dele durante o show que a conversa foi longe. Ao fazer o mesmo comentário com outro amigo, além de ter feito pouco caso ainda disse que era tudo a mesma coisa. Depois, passei uma raiva idiota (por culpa minha, com certeza) e também comentei com este amigo, tudo que ele conseguiu dizer foi "você é uma porta", rindo. Estava conversando com um terceiro e contei o porquê da raiva, ele se colocou no meu lugar, falou o que eu podia fazer pra consertar e ainda me disse que era pra esperar a raiva passar até amanhã e ligar pra ele se precisasse de algo. Reações né.
Aí ouvi "tá cada vez mais difícil gostar de você!" e por incrível que pareça foi da pessoa que eu mais tento ouvir, interagir e que tá sempre pouco se fodendo pro que eu digo. Tá cada vez mais difícil mesmo.
Reações às quais não sei como reagir. [rezando pra esquecer e torcendo pra lembrar - quem sabe em dois anos, já que 15 parece ser o número máximo de tolerância]
-
Post passado me preocupei com meu inferno astral - que ainda não sei dizer se ocorreu ou não. Mas conseguimos encontrar uma casa (decente, diga-se de passagem), as coisas estão em ordem e consigo ver uma luz, ainda que pequena, no fim do túnel.
-
Ainda ouvindo Esteban.

Ando Só - Engenheiros do Hawaii 



Ando só 
Pois só eu sei 
Pra onde ir 
Por onde andei 
Ando só nem sei por quê 
Não me pergunte o que eu não sei 
Pergunte ao pó
Desça ao porão
Siga aquele carro ou as pegadas que eu deixei
Pergunte ao pó por onde andei
Há um mapa dos meus passos nos pedaços que eu deixei 
Desate o nó 
Que te prendeu 
A uma pessoa que nunca te mereceu 
Desate o nó que nos uniu 
Num desatino, um desafio
Ando só
Como um pássaro voando
Ando só
Como se voasse em bando
Ando só
Pois só eu sei andar
Sem saber até quando
Andó só
Ando só... até ...sem saber até quando


Chacarera da saudade - Esteban Tavares



Se fosse só sentir saudade
Seria fácil passar por cima
Olhar pros lados, andar desligado
Inventar outras rimas

Se não soubesses minhas mentiras
Toda verdade do meu coração
Eu viveria despreocupado
Não estaria na tua prisão

Mas não tem tempo certo, não tenho um sinal
Não temos nada escrito pra parte final
E não tem guarda chuva pro nosso temporal
Dançamos tango em pleno carnaval

Eu quero tudo que você quer
Não quero nada de outra mulher
Preciso ficar calmo, não sei o que tomar
Preciso ficar mudo quando quero gritar

E eu desesperado de tanto esperar
No fundo, esperando o telefone tocar
Fumando minhas besteiras, pensando em te ver
Eu não sei ficar só e não quero aprender

Ah, toda a dor da saudade
Milhas e milhas de inferno no chão
Enquanto andas no céu
Voltáras, voltarás

E não tem precisão, precisamos de tudo que o tempo a te devolver
Que nunca morra o que há de viver
Eu não sei ficar só e não quero aprender