quinta-feira, 9 de julho de 2015

Vambora, you who are my home!

Baixei um CD do Esteban esses dias e comecei a gostar (muito mais) do que ouvia. Ouvi uma dele interpretando Adriana Calcanhotto, Vambora, ficou sensacional junto com a Coming Around Again. Ele conseguiu expressar a urgência da música, aquela angústia que a gente sente quando escuta - e quando passa por isso.
Já falei da mania que tenho de me apegar a músicos/ músicas que me são indicados por amigos, ou até mesmo quando não são, mas fazem com que me lembre deles. Esteban, Alexi Murdoch, Dido, Saulo, são tantos que (pra variar) me perco. Em alguns outros casos me lembro de mim. Meio bizarro, mas consigo ver sentido nisso.
(Sobre a colocação dos pronomes: foda-se as colocações dos pronomes)
-
Voltei pra casa. E por casa entenda-se 'cidade'. Senti algumas coisas que não sei se consigo descrever completamente: a primeira parte foi de ansiedade, de chegar, me instalar, decidir a casa nova, e que acabou se misturando à segunda - sem que a primeira acabasse - naquela coisa de aconchego. Uma situação corriqueira, fui ao banco com meu pai e, enquanto esperávamos na fila, pude ficar um tempo abraçada nele, como eu fazia desde criança, enquanto ele me fazia cafuné. Sensação de segurança, proteção e calma (muita tranquilidade!) que todo filho deveria ter o direito de ter. A terceira sensação vem se misturando as outras: empolgação, grande empolgação com o que está por vir.
-
Sempre tive uma paranóia de que morreria aos 27. E hoje, exatamente HOJE, falta um mês para completar 27 (será que começaria aqui o que alguns acreditam ser o tal do inferno astral? Espero sinceramente que não).
E quanto mais perto do aniversário, mais me convenço de que a "morte" que eu sempre encanei nada mais é do que um sinal de mudança, de rompimento com uma antiga vida, uma pessoa que fui.
Li uma frase quase agora "aquilo que somos nos acompanhará onde formos" o que coincide com o que sempre pensei sobre nossa essência.
Começo a pensar que essência não é necessariamente aquilo que fomos durante toda a vida, já que para conhecermos nossa essência deveríamos nos conhecer profundamente, e isto, ahhh isto só vem com muito tempo (digo por tentativa própria, são quase 15 anos pensando intensamente sobre isso). O que me leva a concluir que, sim, nossa essência ("aquilo que somos") nos acompanhará, porém, os antigos "eu's" que ficam pra trás não fazem parte da nossa essência, fizeram parte do nosso processo de amadurecimento, me permitindo acreditar em uma auto-evolução (que me desculpe meu amigo biólogo, já que aqui uso como sinônimo de progresso).
-
Ainda ouvindo Adriana Calcanhotto, mantenho a mesma dúvida que tinha no post passado sobre as pessoas que amo terem noção do que sinto por elas. Acho que pela primeira vez consegui conectar meus pensamentos ao longo do texto. Eis aqui onde eu queria chegar: o fato de voltar pra casa, estar perto novamente daqueles que dão sentido à minha vida, permite que eu consiga demonstrar esse sentimento (mesmo que aos poucos), Seja numa fila de banco dizendo "senti falta de casa", num almoço elogiando a comida que a mãe fez com carinho, num gesto delicado aos meus irmãos.

Esteban - Vambora

Alexi Murdoch - Orange Sky

Well I had a dream
I stood beneath an orange sky
Yes I had a dream
I stood beneath an orange sky
With my brother standing by
I said Brother, you know you know
It's a long road we've been walking on
Brother you know it is you know it is
Such a long road we've been walking on

And I had a dream
I stood beneath an orange sky
With my sister standing by
I said Sister, here is what I know now
Here is what I know now
Goes like this..
In your love, my salvation lies
In your love, in your love, in your love

But sister you know I'm so weary
And you know sister
My hearts been broken
Sometimes, sometimes
My mind is too strong to carry on
Too strong to carry on

When I am alone
When I've thrown off the weight of this crazy stone
When I've lost all care for the things I own
That's when I miss you, that's when I miss you, that's when I miss you
You who are my home
You who are my home
And here is what I know now
Here is what I know now
Goes like this..
In your love, my salvation lies
In your love, in your love, in your love

Well I had a dream
I stood beneath an orange sky
Yes I had a dream
I stood beneath an orange sky
With my brother and my sister standing by